Exibir mapa ampliado

Já estão em vigor as novas Normas Técnicas para Cintas de Elevação e Amarração de Cargas

  // Notícias

O Brasil, a exemplo da Inglaterra, Estados Unidos, Austrália, Japão, Alemanha e França, ja uma Norma Técnica (NBR) para cintas planas e tubulares, mais conhecidas por cintas de elevação, que movimentam cargas. A informação é do químico e técnico de segurança do trabalho André Luiz Lopes, participante do grupo CB-17, um dos núcleos operacionais da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas que tem o compromisso de elaborar normas para a produção, comercialização e aplicação das cintas de movimentação no País. 
Ele também é gerente de Qualidade de uma empresa fabricante das cintas de elevação e amarração, e desde 2002 participa das discussões para a elaboração da NBR. 
Segundo Lopes, a nova NBR, quando em aplicação, vai trazer uma nova realidade para a relação entre fabricante, distribuidor e consumidor das cintas de elevação. Ao contrário do que se verifica atualmente, todas as cintas de elevação produzidas e comercializadas no Brasil obrigatoriamente deverão possuir etiquetas de identificação (nome do fabricante, telefones para contato e outros dados); cores específicas para o reconhecimento da capacidade máxima de elevação; Fator de Segurança 7:1; e código de rastreabilidade para, em caso de ocorrências como rompimento da cinta, o fabricante possa ser facilmente identificado.
O fabricante será obrigado, ainda, a fornecer um certificado que garante a capacidade da cinta de elevação comercializada. Além disso, será obrigatória a realização de ensaios de resistência a cada número de cintas produzidas. Todos os fabricantes serão obrigados testar suas cintas em laboratórios de testes certificados. “Este é um grande avanço em termos da qualidade e da segurança”, diz Lopes.
Mas o que mais chama a atenção na nova NBR, segundo o técnico de segurança do trabalho, é a definição da capacidade nominal da cinta de elevação como o principal na produção e comercialização do produto. “O que vai valer, nas cintas de elevação, é a capacidade nominal. Muitos fabricantes nacionais vendem suas cintas baseados no Fator de Segurança. Com a NBR, isso vai deixar de existir. Se você tiver que elevar 5.000 kg, terá de comprar uma cinta com capacidade nominal de 5.000 kg, independentemente do FS 7:1. Isso se traduz em segurança para o usuário, que não mais comprará gato por lebre”, completa.

As novas normas para Movimentação de Carga são:

ABNT NBR 15883-2:2010 - Amarração 

ABNT NBR 15637-1:2012 - Elevação - Cintas planas

ABNT NBR 15637-2:2012 - Elevação - Cintas tubulares

 

Receba Novidades

Cadastre seu email e receba promoções e novidades da Sideral.

Nome Email Telefone

©2012, Grupo Sideral - Todos os direitos reservados

Rua Reilly Duarte, 747, – E/D – CEP: 29.168-103 – Civit II - Serra-ES - Brasil
contato@sidermetal.ind.br
+55 (27) 3328-3731 | +55 (27) 3328-4586